Notícias

Fazer parte desta conquista reafirma nosso compromisso com o Brasil

Roberto Campos Neto, Presidente de Banco Central do Ano pela revista The Banker

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil (BCB), foi eleito Presidente de Banco Central do Ano pela revista The Banker, editada pelo Financial Times e considerada a mais importante publicação do mundo sobre o setor bancário. Campos Neto foi premiado na categoria mais prestigiada: Global e Américas. Esta é a sétima edição da premiação que homenageia os funcionários que mais conseguiram estimular o crescimento e estabilizar sua economia.

Segundo a revista The Banker, um dos motivos para a premiação é que poucos países foram tão afetados pela covid-19 quanto o Brasil. Mesmo assim, o país teve uma retração econômica menor do que a inicialmente projetada para 2020. A conquista deste cenário mais esperançoso é, de acordo com a The Banker, um dos resultados da atuação do Banco Central.

A The Banker destaca que a autoridade monetária brasileira teve sucesso nas medidas para promover a liquidez, que representou 17,5% do PIB, e nos programas de crédito, que foram fundamentais para os empreendedores se reorganizarem durante a pandemia. A publicação também destaca que o Banco Central conseguiu autorização temporária do Congresso para comprar e vender ativos privados para aumentar ainda mais a liquidez do sistema financeiro. Uma ação que teve como resultado o apoio ao mercado de títulos em moeda local.

Além de importantes ações responsivas para enfrentar o cenário de crise gerado pela pandemia, a The Banker também evidencia duas grandes iniciativas da agenda de inovações do Banco Central e que possuem participação direta dos Analistas do Banco: o lançamento do Pix, novo meio de pagamento instantâneo que é um sucesso em todo o país, e os preparativos para a implementação do Open Banking.

Segundo Campos Neto, “este prêmio é resultado do trabalho de uma equipe inteira. Portanto, a revista The Banker está reconhecendo a competência e a dedicação dos servidores do Banco Central.”

Em 2018, a revista The Banker concedeu o mesmo prêmio de Presidente de Banco Central do Ano a Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central do Brasil na época. Isso reforça que, mais do que uma premiação pessoal, ela destaca a eficiência dos servidores (no caso do BCB, majoritariamente os Analistas que representam mais de 80% do quadro de servidores em diversos níveis técnicos e de gestão).

Estar no topo dos bancos centrais do mundo por duas vezes nos últimos 4 anos é um feito memorável e um grande orgulho para os Analistas. A excelência do Banco Central é resultado de um trabalho sério e consistente, realizado por uma equipe de servidores estável e altamente capacitada, selecionada por critérios impessoais e técnicos.

Scroll Up