Notícias

BC trabalha para implementar o novo sistema de pagamentos instantâneo, o Pix

O Pix é o novo sistema instantâneo de pagamentos e transferências anunciado pelo Banco Central. Nele, as transações serão realizadas em até 10 segundos, 24h por dia, todos os dias da semana. O papel do Analista do Banco Central, neste momento de crise sanitária, é trabalhar para manter o cronograma do Pix, que tem papel fundamental na inclusão financeira da população brasileira e também diminui a necessidade de manusear dinheiro em espécie, o que mitiga o risco de contágio pelo novo coronavírus.

No Pix, os pagamentos e as transferências serão efetuados instantaneamente, de maneira intuitiva, com a máxima segurança, através de QR codes. Além disso, será possível efetuar saques por meio da rede varejista e haverá gratuidade para pessoas físicas.

São 980 instituições, entre bancos comerciais, fintechs e instituições de pagamento, que estão em processo de adesão ao Pix, previsto para começar a operar em novembro deste ano. O sistema é uma nova forma de pagamento, que se junta às TEDs, DOCs, boletos, cartões, transações físicas ou até mesmo dinheiro em espécie, o que diminui os custos de distribuição de numerário aos diversos cantos do Brasil.

O Banco Central vai normatizar, supervisionar, além de fornecer a infraestrutura e protocolos necessários para a operação do núcleo de processamento dessa nova ferramenta em prol da sociedade. São os Analistas do Banco Central os responsáveis por conceber o Pix, garantir alto nível de segurança para o sistema, fazer testes de conectividade, modelar o uso, desenvolver o núcleo de processamento e adaptá-lo para a resiliência, escalabilidade e desempenho necessários. São eles que supervisionarão, farão seu monitoramento e acompanharão a evolução da plataforma para que se adapte a novos modelos de negócio e se mantenha segura e confiável.

Scroll Up